23 de outubro de 2010

Espera

Quando a claridade de algo inconsciente mostra
toda a verdade de alguns fatos
não posso temer por minha vã
espera...
tudo pede que o momento seja mais esperto
talvez em alguma forma
talvez em outra ocasião
mas sei que ainda te lembro
da forma que te conheci
e
hoje
solitário como algumas nuvens
tenho palavras soltas a contar
pode ser bobagem
pode ser verdade
mas não consigo ver o que digo
são apenas movimentos mecânicos
de mãos tremulas
e estáticas
que não cabem em seus assentos
quem sabe...
ah, é verdade
quem sabe o há de vir daqui pra frente
queria
mais uma vez
poder te tocar e sentir tudo o que eu já tive
e joguei
como quem joga um jogo de brincadeira
e perde em um "game over"...
mas é tudo verdade
folhas que parecem tão brancas
mas marcam o impresso
me interesso?
que seja!
por enquanto
não mudaram nada
falo das estações
inverno primavera e verão não sabem se chegam
e meus versos se perdem nessa
"coisa" que chamo o chamado da vontade de mostrar alguns tantos pensamentos...
(desalentos?)
sabe-se lá
talvez algum dia alguém veja
e corrija minha palavra
escrita errada
mas com a sinceridade
de um coração
será verdade?
de quem espera sempre alcança?