12 de março de 2010

Nunca é o que você diz.
Somos tão indecifráveis...

Todas as palavras atiradas ao prazer, disfarçadamente

elas

escondem deliberadamente

as verdades que o corpo quer provar

3 de março de 2010

Mãe Targina

Quando nasci, mãe,
Tive o presente maior
que poderia
ter no meus
- hoje -
Quarenta anos

ser teu filho

Quando morreste,
foi-se teu
corpo sofrido
de velhinha guerreira

Meu grande presente,
meu prazer maior,
este, porém,
morrerá comigo:

Sou teu filho.

Luiz de Freitas