5 de abril de 2009

Viva!

E a saudação da noite vai para o inventor do whisky.

Bebo mermo.

Tô maluco.

Tô doidão.

1 de abril de 2009

Poetando

Faz muito tempo que não escrevo nada que preste... Meus poemas antes diários sumiram... não sei qual é o reflexo disso, mas me bateu uma vontade de, sei lá, agradar as trevas da alma esperando que tudo melhore. Vai uma mais antiga mesmo pra matar a (minha) saudade. Amo essa:

Quero

acordar e apreciar o seu sorriso

sentir todo o gosto de seu amanhecer

respirar sua liberdade


quero



amar-te e saber que me amas por igual

porque não aguento viver mais prisioneiro

de lembranças e de inexistências



quero



envelhecer e conversar contigo

porque minhas outras habilidades vão-se embora

com o passar do tempo


quero


ter mais filhos com você

para dar irmãos e irmãs a minha linda

e aprender a ensinar (ensinar a aprender)

e ensinar a ensinar (e aprender a aprender)


quero


te conhecer em algum lugar

saber teu nome

ter alguma esperança

te chamar pra ouvir uma canção

te dar flores

aceitar (te dar) o teu (meu) amor

e que seja minha

pra sempre






Vê se aparece algum dia pra mim...