23 de outubro de 2007

Código alfa

Nome: Tereza Nascimento.
Idade: 27 anos
Estado civil: Solteira
Condição: Bêbada, feia, pobre e burra.
Ocupação: Agente Federal.


Tereza, vulgo Agenta Nascimento, abriu a porta do bingo. Estavam todos lá. Aqueles velhos nojentos, beberrões e jogadores inveterados. "Mãos na cabeça!" Gritou. Escutou um dos velhos reclamando sobre alguma coisa, artrite ou reumatismo. "Mão na cabeça, porra!!" E deu um chute no andador do velho. Ele caiu. Após tomar conta do ambiente, mandou os agentes prenderem todo mundo. Com a sensação de que era Keith Marroney, ela se dirige a porta. "Ensinei uma lição a todos esses jogadores beberrões de merda.", pensou. Agora ela tinha que se apressar, a cerveja com canastra ia rolar no barracão do Marley, e ela tinha que chegar antes que a maconha acabasse.

19 de outubro de 2007

Fim do mundo.

E se amanhã fosse o fim do mundo?

18 de outubro de 2007

Dente II

Já fui no dentista duas vezes, uma na sexta passada, e outra na segunda (também passada ué). Mesmo assim, vou ter que fazer um tratamento tabajara-ninja-mutante-turbo-3d-viper-super pra tentar escapar de um dispendioso chato dolorido e longo tratamento de canal. É, o x-estátua-de-bacon até que ajudou, senão iria demorar pra descobrir a treta no dente e iria me ferrar mais ainda...

9 de outubro de 2007

MEU DENTE

aiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiaiai


Maldição

8 de outubro de 2007

Nss mode enable

Att de Assis, Sampa, depois de um domingo estressante dos inferno. Peguei um TAM de fpolis até congonhas, e depois de esperar o DIA INTEIRO, num aeroporto de mercenários, sem internet wireless, onde tudo era cobrado e muito, mas muito caro (uma esfirra mequetrefe custava o mesmo que uma coxinha vagabunda = R$ 4,50), peguei um vôo atrasado da pantanal airlines, um bimotor barulhento e velho, e cheguei em Marilia - Sp. Como não tinha busão, tive que pagar um taxi (110 reau) pra chegar em Assis. Pelo menos aqui é bem massa, tem cerveja pra tudo que é lugar. Chega, tenho que trabalhar, depois eu posto alguma coisa, se der na telha.

=P

4 de outubro de 2007

Meus poemas são recados
recursos de auto-ajuda
explicam-se pela própria existência

Meus poemas são dados
entregues ao querer
Jogados para ter sua própria sorte em qualquer destino
(desatino?)

Serão versos o inverso do pedido?
Então o que faz o sorriso da sílaba com seu par
simplesmente entregar a quaisquer

poema
na
hora
de
deitar?

Ou transformarão os termos em apenas, termos?

2 de outubro de 2007

Acerca de ninguém visitar seu blog II - A sequência

Tá bom, eu fiquei triste porque ninguém comentava no meu blogue. mas lendo as palavras encorajadoras "OBA! PÁGINA DE MULÉ PELADA!!!" (FONSECA, Leandro - 2007), eu criei coragem. Tá bom, não foram essas palavras que me deram a vontade de prosseguir, mas essas:

"(...)quanto às presenças no blog, é assim mesmo. Antes eu ficava muito puto quando meus amigos, que passam horas e horas a fio online, não visitavam meu blog, nem que fosse pra me mandar à merda. Hoje em dia eu não me estresso mais. Continuo publicando minha santa merda de cada dia e problema de quem não for lá visitar! (...)" (FONSECA, Leandro - 2007)

Bom, isso é uma verdade. Problema de quem não me visitar, por motivos diversos. Pode ser porqu não vai descobrir ninguém retardado o suficiente pra ficar colocando citações retiradas dos comentários do próprio blog, por exemplo, ou sei lá o que mais. O importante é que ganhei novo ânimo para o chamado "Ócio criativo", que, pra variar é coisa do Fonseca, cujo nome não citarei mais nesse post pra não correr o risco de ser chamado de puxa-saco ou de viado.

E não me esquecerei também de postar as fotos de mulépelada, que ficarão muito bem no acervo junto com a loira do post abaixo. Rá rá rá.